• Redator Ibx

Relatório Gerencial: Por que fazer em minha empresa?

Atualizado: Jan 23


O relatório gerencial, é um documento que permite ao empreendedor (e aos gestores), um maior conhecimento sobre seu progresso. Criados no intuito de mapear o andamento e verificar estratégias. Esse documento mostra os resultados obtidos pela empresa através do monitoramento e mensuração. É uma forma de identificar se a direção tomada tem sido positiva ou negativa para o seu desenvolvimento e saúde financeira.

Completos, exatos e sempre atualizados esses relatórios auxiliam na tomada de decisões. Reduzindo os riscos e aumentando as oportunidades, eles são fundamentais para uma boa gestão e, para acompanhar o mercado no qual está inserido. Por isso, continue lendo e descubra a importância desse documento!

O que é um relatório gerencial?

Um relatório gerencial é um documento que une dados e informações de forma objetiva a fim de indicar o andamento de uma empresa. Todas essas informações e dados devem ser verdadeiros. Pois, é através deles que os resultados poderão ser analisados e compreendidos, sendo usados para:

Planejar estratégias;

● Tomar decisões;

● Avaliar o desempenho.

Para isso, são avaliados diferentes períodos do negócio. Esse cruzamento de informações é estruturado de forma específica por meio de capítulos aprofundados, ou por meio de tabelas e gráficos representativos da empresa, sempre contribuindo para melhorias e correção de falhas. Além de reais, todos os dados devem ser relevantes e atuais. Do contrário, a avaliação não será feita de forma assertiva, levando aos erros. Apesar de parecer complexo, esse documento é bastante direto e simples, de modo que atenda seu propósito de facilitar o crescimento da empresa.

Qual a importância do relatório gerencial?

Existem inúmeros motivos que denotam a importância desse documento gerencial e ele pode ser feito com diversas finalidades, mas em geral, algumas vantagens se destacam mais que as outras. Dentre elas estão:

Análise estratégica de dados e informações;

● Medição dos resultados obtidos;

● Otimização dos processos e tarefas cotidianas;

● Compreensão da situação da empresa.

Sem contar a capacidade de fazer um planejamento mais estratégico e tomar melhores decisões, como mencionados anteriormente.

De forma geral, um relatório gerencial torna os processos decisórios mais ágeis e eficientes. Ao mesmo tempo que, permite mudanças e correções em setores que necessitam de atenção.

Relatório gerencial, quando fazer e seus tipos

Uma das maiores dúvidas acerca do relatório gerencial é quando ele deve ser feito e, isso varia muito de acordo com seu objetivo.

● Diariamente;

● Semanalmente;

● Mensalmente.

Ou seja, depende do que exatamente a empresa deseja acompanhar e avaliar. Em geral, existem períodos ideais para cada tipo de setor e funções ali realizadas. O monitoramento deve acontecer em tempo real para, posteriormente, ser possível emitir um relatório detalhado sobre os resultados obtidos, de modo que seja possível analisar se ele atendeu as expectativas ou não. Como existem diversos tipos de relatórios gerenciais, abaixo seguem informações de cada um deles:

Análise: são os relatórios que coletam informações e dados de um determinado período, longo ou curto, afim de encontrar respostas para o assunto em pauta. De modo que seja possível encontrar e definir soluções específicas para cada situação através de um planejamento estratégico;

Satisfação: seu objetivo é medir a satisfação tanto de consumidores, quanto de colaboradores de uma empresa. Aqui é avaliada a satisfação externa (experiência do usuário) com seus produtos ou serviços. Bem como, a interna, em relação ao ambiente de trabalho e benefícios fornecidos por ele. Avaliando assim, o impacto causado por aquilo que tem sido proporcionado pelo negócio;

Financeiro: um relatório gerencial de finanças deve ser feito periodicamente, para manter um maior controle eficaz e o conhecimento do fluxo de caixa. Para isso, são considerados valores referentes às contas a pagar e receber, despesas, custos, faturamento, lucro e muito mais. Isso influencia diretamente no crescimento por meio da criação de estratégias mais assertivas que gerem aumento nas vendas;

Controle: esse documento diz respeitos às questões internas como, por exemplo, o controle de estoque. Esse é o relatório gerencial de controle mais comum e ele é feito através da relação dos valores de perda (desperdício), estoque mínimo e custo total da estocagem. Isso facilita a criação de metas em diferentes setores e seu monitoramento;

Crescimento: para finalizar, existe ainda o relatório gerencial de crescimento que mede um aumento no patrimônio empresarial. Bem como, no número de clientes, vendas e do ticket médio. Através deles, é possível identificar quando as ações têm surtido efeito e convertido novos clientes.

Conclusão

Neste artigo, vimos o que o relatório gerencial é um documento extremante importante para as empresas. Independentemente do tamanho dela, eles precisam ser feitos, pois, trazem inúmeros benefícios. Dessa forma, sua estrutura precisa ter/ser:

● Clareza nos dados e informações apresentadas;

● De fácil assimilação, trazendo apenas o essencial;

● Completos evitando buscas de última hora;

● Visualmente organizado e bem apresentado;

● Atender as necessidades de quem o irá avaliar;

● Informações de todos os setores - integração.

Com isso, as empresas conseguem controlar melhor seus resultados e criar planejamentos mais estratégico, uma vez que o gestor irá acompanhar o andamento do negócio detalhadamente, definindo assim novas direções de forma mais assertiva e alinhada ao propósito da empresa!

Gostaria que mais pessoas se beneficiassem desse conteúdo? Compartilhe-o em suas redes sociais.


Escrito por Gestão Click

Ibmex - Consultoria Empresarial Jr

Contato:

Tel: (31) 4101-1121 &

(31) 98484-1703

comercial@ibmex.com.br

Endereço:

Av. Carandaí, 863, 2º andar - Bairro Funcionários, Belo Horizonte, MG 30130-060

Redes Sociais:

  • LinkedIn - círculo cinza
  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo