• Redator Ibx

Como fazer um bom planejamento financeiro da sua empresa

Atualizado: Jan 27

Um dos maiores desafios enfrentados pelas empresas hoje em dia é a falta de planejamento financeiro, o que pode gerar graves problemas como o acúmulo de dívidas, pagamentos de altos juros, e principalmente, o descontrole do seu fluxo de caixa. Porém, ter controle das finanças da sua empresa pode ser algo bem menos complicado e mais barato do que você imagina.

Planejar as finanças de uma companhia é basicamente projetar suas receitas e despesas, com a finalidade de indicar a situação econômica de seu negócio. Fazendo isso, você conseguirá planejar a melhor forma de utilizar seus recursos, uma vez que consegue visualizar com clareza seu faturamento, seus gastos e seus investimentos.


O primeiro passo de um planejamento financeiro é organizar documentos e registros contábeis em planilhas, visando criar um histórico de dados que será essencial para todos processos que virão. Além de organizar seus dados, é necessário determinar as atuais condições da sua empresa, não só financeiramente, mas também no geral, visando possibilitar a definição do melhor o tipo de planejamento e o investimento inicial ótimo para fazer as mudanças necessárias.

Existem diversas metodologias para entender e conhecer a atual situação da sua organização. Uma das mais conhecidas é a análise SWOT (ou análise FOFA), que se trata de uma avaliação de cenários antes de tirar um projeto do papel. Esta metodologia consiste em analisar os seguintes aspectos da sua empresa: as forças (strenghts), as fraquezas (weaknesses), as oportunidades (opportunities), e as ameaças (threats).


Outra metodologia bastante conhecida e utilizada é o “Ciclo PDCA”, que consiste em planejar (plan), fazer (do), checar (check), e agir (act). Neste caso, “fazer” seria colocar seu planejamento na prática e “agir” seria, após o controle (“checar”), desenvolver e colocar em ação melhorias e medidas corretivas.


Após ter feito um estudo detalhado de como se encontra sua empresa no momento, deve-se analisar um aspecto importante que está presente em qualquer tipo de planejamento: a incerteza. Não sabemos o que ocorrerá no futuro, por isso é importante esperar por diferentes possibilidades, procurando estar preparado para qualquer cenário, por mais adverso que venha a ser. Procure sempre projetar três contextos futuros diferentes: um otimista, um realista e um pessimista.


Com todos os dados financeiros organizados e em mãos, e depois de ter estudado detalhadamente a atual conjuntura da sua empresa, está na hora de começar de fato sua análise financeira. Existem três métodos considerados os mais eficazes na hora de fazer esta análise. Eles são:

Balanço Patrimonial


Consiste em uma demonstração contábil que retrata o patrimônio da sua empresa, e é dividido em duas colunas principais: o Ativo, que retrata todos seus bens e direitos, e o Passivo, que representa suas obrigações com terceiros. Na coluna do passivo, também se encontra o patrimônio líquido da empresa, que registra o valor contábil pertencente aos acionistas ou quotistas. Neste método, as contas do passivo e do patrimônio líquido devem se igualar ao ativo, de forma a “fechar” o balanço.

Demonstração de Resultado de Exercício (DRE)


É um dos mais populares e, assim como o balanço patrimonial, é essencial para qualquer negócio. Seu objetivo principal é apresentar de forma vertical resumida o resultado apurado em relação ao conjunto de operações realizadas num determinado período pela empresa (normalmente doze meses). Esta demonstração apresenta informações detalhadas de importantes aspectos contábeis como: suas receitas; seus custos e despesas; seus lucros; os impostos a se pagar; despesas financeiras (dívidas); entre outros. Esta foi apenas uma breve descrição de como funciona uma DRE. Se quiser saber mais sobre este método tão difundido e utilizado por todas as empresas, veja aqui passo a passo de como montá-la.


Demonstrativo do Fluxo de Caixa (DFC)


Sendo o mais importante dos métodos descritos, o DFC é basicamente um relatório de contabilidade que pretende mostrar as entradas e saídas de dinheiro do caixa da empresa e quais foram os resultados desse fluxo em três importantes áreas de atividades: as operacionais; de investimento; e de financiamento. É considerado o mais importante método de análise financeira pois permite identificar os períodos de sobra e de escassez de recursos, garantindo que haja dinheiro disponível para cumprir as obrigações dentro dos prazos de vencimento e ajudando na tomada de decisões sobre investimentos. Ou seja, o DFC é a melhor maneira de analisar a liquidez da empresa e sua capacidade de gerar caixa para fazer o capital do negócio girar.


Conclusão


Com suas análises contábeis bem estruturadas, você terá uma ótima visão de como sua empresa está financeiramente, podendo assim, planejar e controlar seus gastos e investimentos. Por fim, poderá traçar planos de ações e focar no desenvolvimento geral de seu negócio com tranquilidade, sem ter que se preocupar com problemas financeiros, que são, na maioria das vezes, a maior dificuldade encontrada pelas empresas hoje em dia.


Pedro Lira

Consultor de Projetos

Ibmex - Consultoria Empresarial Jr

Contato:

Tel: (31) 4101-1121 &

(31) 98321-1871

comercial@ibmex.com.br

Endereço:

Av. Carandaí, 863, 2º andar - Bairro Funcionários, Belo Horizonte, MG 30130-060

Redes Sociais:

  • LinkedIn - círculo cinza
  • Facebook - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo